quinta-feira, 18 de março de 2010

Os teus pés - Pablo Neruda

Assunto: AS ESTAÇÕES DO ANO
Data: 17/Mar 13:28
SÃO QUATRO, AS ESTAÇÕES DO ANO....E MUITAS MAIS AS EMOÇÕES, ALEGRIAS, LUTAS E ANSEIOS QUE, EM CONCERTO AFINADO, DEFINEM AQUILO QUE SOU. NÃO É QUE NÃO CHORE LÁGRIMAS COMO A CHUVA DE INVERNO...E HÁ DIAS EM QUE TODO O MEU CORPO É UM LARGO SORRISO, LUMINOSO COMO O SOL DA PRIMAVERA. QUANDO MEUS OLHOS ENCONTRAM O OLHAR DO MEU AMOR, MEU CORAÇÃO GALOPA, MEU SANGUE FERVE E SOU UMA TARDE DE VERÃO...TAMBÉM DIAS EXISTEM, EM QUE A PAZ E A CALMA ME INUNDA, ME SINTO SINCRONIZADA COM TUDO EM MEU REDOR E CANTA EM MIM A BELEZA EXISTENTE NO MAIS PEQUENO DETALHE. AÍ SOU UM SUAVE OUTONO DE CORES RUBRAS E PROFUNDA QUIETUDE DOS DIAS. É NESSES MOMENTOS QUE APROVEITO PARA GUARDAR NO CORAÇÃO TODA ESSA BELEZA E ESSE ENCANTO...O INVERNO ESTÁ PARA CHEGAR. ENTRETANTO, ENTRE ESTAS SENSAÇÕES DEFINIDAS E NÍTIDAS, DESENROLA-SE TODA A COMPLEXIDADE DO MEU EU, E AÍ SOU UM CRISTAL ATRAVESSADO POR UM RAIO DE LUZ, E DENTRO DE MIM NASCE UM ARCO-ÍRIS QUE PROJECTO NA VIDA Á MINHA VOLTA...EM ANEXO UM BEIJO!
.
Distribuído por Moranguinho Pereira (hi5)
.


OS TEUS PÉS
.
.
Quando não posso contemplar teu rosto,
contemplo os teus pés.
.
Teus pés de osso arqueado,
teus pequenos pés duros.
.
Eu sei que te sustentam
e que teu doce peso
sobre eles se ergue.
.
Tua cintura e teus seios,
a duplicada purpura
dos teus mamilos,
a caixa dos teus olhos
que há pouo levantaram voo,
a larga boca de fruta,
tua rubra cabeleira,
pequena torre minha.
.
Mas se amo os teus pés
é só porque andaram
sobre a terra e sobre
o vento e sobre a água,
até me encontrarem.
.
.
PABLO NERUDA 
.
.

Sem comentários: