sábado, 24 de abril de 2010

Espera - Sophia de Mello Breyner

Assunto: DESESPERO...
Data: 22/Abr 20:45
LEVARAM AS LETRAS QUE FORMAVAM MINHAS PALAVRAS. FICARAM NA MEMÓRIA, É CERTO, MAS É IMPOSSÍVEL FAZÊ-LAS REALIDADE. A MAIOR TORTURA É SABÊ-LAS E NÃO AS PODER USAR. NEM POSSO PROCURAR QUEM AS LEVOU PORQUE FOI JUNTO COM ELAS.ESTÁ IMPUNE.SÓ PARA MIM ELAS TÊM IMPORTÂNCIA POIS NÃO SERVEM A MAIS NINGUÉM. TÊM TUDO O QUE ERA A MINHA VIDA.A MINHA PRISÃO NÃO TEM GRADES, TEM REVOLTA SEM SE PODER REVOLTAR....TODO O MUNDO Á MINHA ESPERA E EU SEM PODER AVANÇAR....AVISAR PARA ESPERAR UM POUCO, TALVEZ ELAS CONSIGAM FUGIR....MASTROS DE NAVIO AO LONGE SEGUINDO RUMO AO HORIZONTE...QUE ELAS NÃO ESTEJAM LÁ DENTRO...QUE O HOJE NÃO SEJA O SEMPRE...SEI O QUE QUERIA DIZER...SEI O QUE QUERIA FALAR....SEM NADA PODER FAZER SÓ ENCONTRO REFÚGIO NA EMOÇÃO...QUE MEU OLHAR SEJA FAROL E MEU CORAÇÃO MEU GUIA E, SOBRETUDO, QUE O SORRISO NÃO ESQUEÇA QUE É A CHAVE QUE ABRE TODAS AS PORTAS FECHADAS QUE EU POSSA ENCONTRAR...EM ANEXO UM BEIJO !

PS: DESCULPEM A MINHA AUSÊNCIA, AMIGOS E AMIGAS, NÃO SEI POR QUANTO TEMPO SERÁ, MAS ESTÃO TODOS COMIGO !
.
Distribuído por Moranguinho Pereira  (hi5)

ESPERA

Dei-te a solidão do dia inteiro.
Na praia deserta, brincando com a areia,
No silêncio que apenas quebrava a maré cheia
A gritar o seu eterno insulto,
Longamente esperei que o teu vulto
Rompesse o nevoeiro.

SOPHIA DE MELLO BREYNER

Sem comentários: